english
Español
Português

A primeira Residência Nós No Bambu - Latinoamerica Brasil aconteceu de 28 de abril a 26 de maio de 2019. Durante um mês, quatro artistas brasileiros e quatro latino-americanos viveram uma imersão no universo da arte corpo bambu. Os participantes foram iniciados em bambuzeria – construção de instrumentos acrobáticos artesanais de bambu - e no repertório corporal e cênico da Cia Nós No Bambu. O projeto, apoiado pelo Rumos Itaú Cultural 2017-2018, aconteceu na sede da Cia Nós No Bambu, o Galpão Bambu – espaço de criação, localizado no Núcleo Rural Córrego do Urubu em Brasília. 

Além do compartilhamento de conhecimentos, os residentes montaram a Mostra Residência Nós No Bambu. O evento, aberto à comunidade, teve um Circuito Performático, exibição de minidoc do processo da Residência, a Mostra de 40 min. de duração e confraternização com música e fogueira.


Durante a Mostra, foi lançada a Rede Corpo Bambu, uma rede mundial que nasceu com representantes em cinco países - Brasil, Argentina, México, Peru e Costa Rica.

Clique e conheça os destaques da Residência Nós No Bambu:

Apoio

Produção

Mergulhe na Residência Nós No Bambu - assista nossa WEBSÉRIE!

IMERSÃO

A Residência Nós No Bambu ocorreu no Galpão Bambu - espaço de criação, sede da Cia Nós No Bambu. O Galpão Bambu se situa no Núcleo Rural Córrego do Urubu, que integra a Serrinha do Paranoá, lar para uma natureza estonteante na capital do Brasil, Brasília.

 

fotos Thaís Mallon

BAMBUZERIA

Elemento central e de conexão, o bambu traz um universo em si. O grupo foi iniciado no processo de escolha, colheita, beneficiamento e construção de instrumentos acrobáticos artesanais de bambu.
 

 

ARTE CORPO BAMBU

O trabalho corporal com o bambu se apoiou em dois instrumentos acrobáticos largamente pesquisados pela companhia: mastros e tripés de bambu. Também utilizamos os versáteis bastões de bambu. Foram compartilhadas técnicas de autocuidado corporal, aquecimento e presença cênica colecionadas pela Cia Nós No Bambu ao longo de seus 15 anos de práticas.

 

fotos Thaís Mallon

MOSTRA

Como forma de aprofundar os conhecimentos adquiridos durante a Residência, e de somá-los aos conhecimentos de cada artista, criamos a Mostra Residência Nós No Bambu. O evento, aberto à comunidade, teve um Circuito Performático, exibição de minidoc do processo da Residência, a Mostra de 40 min. de duração e confraternização com música e fogueira.

 

fotos Thaís Mallon

Circuito Performático

Representantes Diplomáticos

María Laura de Rosa - adida cultural da Argentina e família

Luis Luna - adido cultural do Peru e família

Mostra

fotos Thaís Mallon

REDE CORPO BAMBU

Para reverberar os conhecimentos compartilhados e alimentar os laços gerados durante a Residência, lançamos a Rede Corpo Bambu. O propósito da Rede Corpo Bambu é promover o desenvolvimento humano e artístico por meio das inúmeras possibilidades da Arte Corpo Bambu - a interação criativa entre corpos humanos e formas de bambu. Para tanto, a Rede Corpo Bambu visa conectar pessoas,  compartilhar meios e modos de produção, gerar conhecimento e oportunidades de trocas e negócios.  Com nossas ações, pretendemos gerar interesse pela cultura do bambu e incentivar o uso deste recurso natural por seu enorme potencial para o desenvolvimento sustentável.

Fique por dentro das atividades da Rede Corpo Bambu!

www.facebook.com/redecorpobambu

www.instagram.com/redecorpobambu

fotos Thaís Mallon

 

INSTRUTORES

DA RNNB

Poema Mühlenberg

Coordenadora Geral

 

Poema Mühlenberg é idealizadora da Cia Nós No Bambu, na qual atua como bailarina acrobata, produtora, comunicadora e artesã bambuzeira, entre outras funções. Formada em Desenho Industrial, soma experiências como diretora, coreógrafa, diretora de arte de cinema, atriz, preparadora corporal, arte-educadora e ativista ambiental. Seus estudos corporais abrangem o vasto campo da dança contemporânea, ginástica artística, capoeira, pilates, yoga, balé, dança de salão, danças populares e cultura do movimento. Poema compartilhará com Flávia e Jozi a instrução das práticas corporais e de bambuzeria.

@eusoupoema

Ana Flávia Almeida

Instrutora em Arte Corpo Bambu

 

Pioneira sagaz, é a mais antiga bambuzeira da Cia Nós No Bambu, e sua cofundadora. Atuou como bailarina acrobata em quatro espetáculos da companhia e fez colaboração coreográfica em outros dois. Flavinha já dançou balé e contemporâneo, treinou ginástica artística e triathlon e é formada em nutrição. Ela será instrutora nas práticas corporais diárias da Residência Nós No Bambu.

Jozimar Marinho

Bambuzeiro e Instrutor em Bambuzeria

 

Este tocantinense é um exímio bambuzeiro. Iniciado na marcenaria, colabora com Marcelo Rio Branco e com a Cia Nós No Bambu como artesão desde o início de nossas pesquisas. Ele iniciará os residentes nos mistérios da colheita, tratamento e construção de instrumentos acrobáticos de bambu. Jozi também está responsável pela construção dos instrumentos acrobáticos utilizados durante a Residência Nós No Bambu.

 

SELECIONADOS

DA RNNB

Beth Martins

Atriz, coreógrafa, bailarina, é acrobata aérea, fundadora e integrante do elenco e do núcleo diretor da Intrépida Trupe. De 1992 a 2006, trabalhou com os projetos sociais “Se essa rua fosse minha”, “Levantando a Lona”, “Cia. Aplauso” e “Talentos da Vez”, ministrando aulas de circo e dança, dirigindo e coreografando espetáculos.

Bruniele Ferreira 
Graduada em Educação Física, chega de surpresa para compor a seleção de artistas da Residência Nós No Bambu, como residente voluntária. Procura unir toda a sua experiência adquirida com yoga, integral bambu, improvisação, movimento natural, dentre outros, para proporcionar experiências corporais naturais da capacidade física, intelectual e emocional.

Gerlídia Tavares
Natural de Quixadá/ CE, a pedagoga iniciou seus estudos em dança profissionalizante em meados de 94 na escola de balé Gorette Quintella. Professora, bailarina e coreógrafa, atualmente dirige e coordena a Cia de Dança Rastro, que este ano completa 17 anos. Além disso tudo, nossa residente é presidente do Maracatu Nação Quixadá e coordenadora da rede de dança do Ceará na região central do sertão central. 

Kadu Oliviê

Natural de São Bernardo do Campo/SP e radicado em Palmas/TO, começou sua carreira atuando como palhaço em hospitais na cidade de Mauá/SP. É diretor artístico, especialista em corda bamba pela Escola Nacional, educador e presidente da Associação Cia Os Kaco, idealizador e realizador do Festival de Circo de Taquaruçu, e do Circo Social Tocantins. Atualmente desenvolve um trabalho contínuo de atividades de sensibilização e acesso cultural circense, além de fazer parte da produção de grandes festivais pelo Centro-Oeste. 

Mariana Duarte
Bailarina e coreógrafa, é formada no Rio de Janeiro pela Angel Vianna Escola e Faculdade de Dança. Mudou-se para São Paulo em 94 e na cidade integrou o projeto Dança – Master. Cursou também técnicas aéreas de circo na Escola Circo Picadeiro e Galpão do Circo. Em Londres, realizou cursos de aperfeiçoamento nas técnicas clássica e contemporânea no Laban Centre for Movement and Dance, London Contemporary Dance School e no Greenwich Dance Agency. Atualmente dá continuidade a uma pesquisa que integra linguagens da dança, do circo e do teatro, desenvolvendo projetos em parceria com outras companhias como Solas de Vento e TrixMix Cabaré.

César Hernandez
Facilitador de projetos de circo sociais desde de 2010, ele ainda conta com quatro formações pedagógicas ministradas por Machincuepa Circo Social, uma organização endossada pelo Cirque du Monde, um programa social criado pelo Cirque du Soleil com ênfase com adolescentes, jovens e adultos em situação de vulnerabilidade.

Helder Lacunza
Vindo diretamente de Lima, é artista de circo graduado da escola Circo Profissional de LA TARUMBA, com especialização em Acroportés e Quadro fixo. Além de artista e fundador da empresa “Circo Andante”, é dono de um extenso currículo acumulando 20 anos de experiência como professor da arte circense.

Armando Alfaro
Graduado na Escola de Circo Profissional de Tarumba no ano de 2014, vem participando ativamente de iniciativas independentes em toda a América Latina e desenvolvendo-se artística e pedagogicamente. Possui larga experiência em vários festivais locais, da América Latina e Europa.

Lucila Ruiz 
Luli, como é chamada, é dançarina profissional, pesquisadora e dançarina de dança de ascendência africana. Pesquisadora, tem estudado a natureza africana na origem do folclore argentino.