Dramaturgia, Design e Corpo

Experiências da Cia Nós No Bambu

com Poema Mühlenberg

segunda, 26/07/ 2021, 15 - 16h

 

A companhia brasiliense Nós No Bambu tornou-se referência internacional ao criar espetáculos baseados na relação entre corpos e formas de bambu. Sua poética une circo, dança, teatro e design. Esta aula é um compartilhamento dos elementos componentes dessa trajetória, com suas descobertas, erros e acertos. 

Público alvo: Artistas profissionais e amadores das diversas linguagens da cena e demais interessados. 

Faixa etária: a partir de 16 anos 

 

Lab Bambu

Jogo das Formas em Cena

com Poema Mühlenberg

terça e quarta, 27 e 28/07/ 2021, 15 - 17h30

No jogo das formas, as/os participantes  criarão objetos/ cenografias efêmeros, de complexidade baixa e com materiais de fácil acesso. Explorarão interações corporais, improvisação e composição de cenas. O Lab é uma vivência condensada do processo criativo da Cia Nós No Bambu, compartilhamento de técnicas, saberes e sensibilidades. 

Quantidade de participantes: 20 pessoas

Faixa etária: a partir de 16 anos

Não são necessários pré-requisitos. 

Perfil: artistas profissionais, estudantes e amadores das diversas linguagens da cena e pessoas interessadas na exploração das formas e do movimento. Sem pré-requisitos .

Materiais Necessários

 

Materiais caseiros de fácil acesso: 

  •  4 palitos de churrasco ou 4 lápis do mesmo tamanho ou 4 gravetos retilíneos

  • fita crepe estreita ou fita durex estreita ou fita isolante estreita

  • 3 ou 4 pedaços de bambu de aproximadamente 1,5m de comprimento ou 3 ou 4 galhos de árvore (aprox. 1,5m) ou 3 ou 4 cabos de vassoura

  • barbante ou tira de câmara de pneu ou corda fina

  • tesoura

Pequenas Partilhas de Criação

com Edson Beserra

quinta e sexta, 29 e 30/07/ 2021, 15 - 17h

Oficina de dramaturgia instantânea e composição em tempo real em dança. Por meio de proposições os participantes serão convidados ao exercício da criação fazendo o uso de objetos como aporte motivador, ressignificando seus espaços de convivência como espaços de criação.

 

Públicos (perfil do público e quantidade máxima); 

Artistas das diversas linguagens da cena. Até 30 pessoas.

Formato:  Ao vivo.

Duração: 4h 

WhatsApp Image 2021-07-14 at 08.28.37.jpeg

Poema Mühlenberg, multiartista  brasileira, atua como circense, produtora, designer, diretora, coreógrafa e artesã bambuzeira.  Cofundadora da Cia Nós No Bambu,  há 18 anos  pesquisa a Arte Corpo Bambu - movimento expressivo com instrumentos acrobáticos artesanais de bambu.

Edson Beserra, mestrando em dança pelo PRODAN-UFBA, multiartista e profissional da dança e candomblecista. Pesquisa as transdisciplinaridades das diversas manifestações das Artes Cênicas, com ênfase em Dança tendo a memória como fio condutor na construção de dramaturgias. Como bailarino atuou em algumas das principais companhias de dança do país, como Grupo Corpo Cia de Dança, Cia de Dança Deborah Colker e Quasar Cia de Dança.

WhatsApp Image 2021-07-14 at 08.28.36.jpeg

Acenda essa Ideia

com Emmanuel Queiroz

terça a quinta, 27 a 29/07/ 2021, 14h - 14h30

sexta, 30/07/2021, 20h

Na minha experiência como Iluminador Cênico e Coordenador técnico, percebo que há uma linguagem própria nas montagens dos espetáculos. Com essa ótica, proponho uma oficina que disseque os passos para uma iluminação cênica do início até sua execução e adaptação para diferentes espaços, usando o espetáculo “ O Vazio É Cheio de Coisa˝ como elemento de observação. Direcionando este olhar para artistas, produtores e gestores de espaço.

 

Público Artistas, produtores e gestores de espaço.

Emmanuel Queiroz, profissional especializado em atividades de apoio, produção e operação de elementos do espetáculo com mais de 10 anos de experiência. Hoje, é uma referência no mercado concebendo iluminações para nomes como Hugo Rodas, Adriano e Fernando Guimarães, Fernando Villar, Arnaldo Bartista, Roberto Menescal, Mutantes, entre outros.  Realizou diversos trabalhos de coordenação e produção técnica para eventos como MID Mostra internacional de dança, Satélite 61, mostra de Arte Sensorial e Inclusiva, 1º Festival Internacional de Arte e Tecnologia: Reengenharia dos sentidos”.